Embarquei em mais uma Jornada no Desconhecido com 20 Mulheres

grupo de mulheres

Hoje ao final do dia embarco em mais uma jornada com 20 mulheres no desconhecido. Antes de estar neste contexto de iluminação evolucionária, estar com mulheres não me agradava muito. Detestava a competitividade que sentia, a avaliação constante e mais ainda as conversas fúteis de que aprendi ao longo dos anos a fazer com todas elas. Hoje é uma alegria imensa juntar-me a outras mulheres, sejam minhas conhecidas ou não, sabendo que vamos todas rumar a um lugar de união verdadeira e de confiança total. Não sei qual o tema deste retiro mas isso também não é importante. A Cynthia consegue sempre, e repito sempre, surpreender-me com a forma tão natural e na altura certa com que nos propõe algo inspirador e digno de introspecção, questionamento e descoberta. Em conjunto, construímos o tema e percebemos em cada uma de nós, de forma diferente e específica, o que temos a trabalhar internamente e em grupo. Mal posso esperar por fazê-lo e desta vez vou fazê-lo com uma amiga do coração…

Teresa Leite Gonçalves

Dias em família

 

IMG_6005Um grande mestre que tive o prazer de conhecer diz: se julgas que és iluminado, vai viver uma semana para casa dos teus pais. Pois foi isso mesmo que aconteceu na semana passada. Não fui viver para casa deles, mas fui de férias com eles e vivi sobre o mesmo tecto durante 10 dias. Durante este tempo consegui perceber de onde vêm muitos dos meus condicionamentos e muitas das minhas maneiras de ver o mundo…o fazer sem parar, o não relaxar, o arranjar problemas em tudo, o complicar, o personalizar, etc, etc.

Mas acho que pela primeira vez em que passei tempo com eles não me senti de todo victimizada. Antes acontecia com facilidade dizer mal da atitude que me teria levado até eles, e martirizava-me por ter tomado essa decisão e só ficava sossegada já quando chegava a casa. Desta vez, dei por mim a vê-los interagir connosco e entre eles como se fosse uma observadora, reconheci padrões neles que por várias vezes já observei em mim e consegui perceber de onde venho, onde estou hoje e na direcção que quero trabalhar para ir.

Claro que gostava que eles tivessem um tipo de atitude diferente entre eles e individualmente, nomeadamente nas escolhas que fazem na vida, mas já percebi há muito que eu só posso ser responsável pela minha própria vida, e pelas atitudes e escolhas que tomo no meu dia a dia. Posso dar o exemplo pelo que digo e faço quando estou com eles, mas não os posso forçar a escolher algo de diferente para eles, isso só mesmo eles podem.

Por isso acho que estou em paz com tudo isto…e assim fico. Divertimo-nos juntos, descansamos juntos e agradeço sempre por tudo o que sempre fizeram e ainda hoje fazem por mim e pela minha família…

Teresa Leite Gonçalves